Arquitetura

Como funcionam as lareiras ecológicas sem fumaça e sem cinzas

Novidade tem procura cada vez maior nos Estados Unidos e Brasil começa a receber essa tecnologia para residências e ambientes corporativos.

Para aqueles que moram em regiões mais frias do Brasil, ter uma lareira na residência sempre foi um sonho de consumo. No entanto, a dificuldade de manuseio e a fumaça podem ser incômodos para muitas pessoas. Essas duas razões são coisas do passado quando você compreender como funcionam as lareiras ecológicas.

Trata-se de uma alternativa que está tendo grande aceitação na Europa e nos Estados Unidos e hoje já é uma possibilidade real para as construções brasileiras. Nesse artigo, vamos compreender como essas lareiras ecológicas funcionam e por quais motivos você deveria considerá-las em seus próximos projetos.

Como funcionam as lareiras ecológicas?

As lareiras ecológicas foram criadas para serem fáceis de serem instaladas e operadas. Elas são muito mais flexíveis do que as lareiras tradicionais e, por essa razão, podem ser incorporadas a um projeto em qualquer estágio da decoração do interior ou em renovações e reformas.

As regras de instalação devem ser observadas em cada caso em particular, mas como principal vantagem elas podem ser colocadas também em ambientes menores. Não são necessários gás, eletricidade ou combustão. Os queimadores de etanol são autossuficientes, o que os torna praticamente peças portáteis capazes de combinar com qualquer elemento decorativo interno ou externo.

Em vez do carvão, as lareiras ecológicas utilizam o bioetanol como combustível. Trata-se de um tipo de combustível considerado limpo e, por essa razão, não há produção de fumaça. O líquido, em sua composição específica para essa finalidade, produz ainda uma chama na cor laranja, o que ajuda a dar um aspecto ainda mais bonito.

Bom para você e para o meio ambiente

Há diversos estudos citados pela Children’s Health Environmental Coalition (CHEC) apontando que crianças que moram que casas em que há lareiras tem taxas mais altas de problemas pulmonares, dificuldades respiratórias, pneumonia e outras doenças relacionadas. Pessoas com alguns sintomas, doenças crônicas obstrutivas pulmonares ou angina, são desencorajadas a ficarem expostas às lareiras convencionais.

A fumaça resultante da queima da lenha também não é benéfica para o meio ambiente, contribuindo para a fuligem, para a chuva ácida e outros problemas decorrentes da poluição. Portanto, buscar alternativas menos poluentes para o organismo e para o meio ambiente é parte de uma visão de mundo ecologicamente correta.

Orientação de especialistas é fundamental para fazer uma boa escolha

Quando falamos de lareiras em qualquer ambiente que seja, é de suma importância que um especialista seja consultado para que o local em questão possa ser avaliado. Há regras de segurança que precisam ser observadas e para quem mora em apartamentos existe ainda a necessidade de verificar se não há nenhum tipo de confronto com as regras do condomínio.

Por essa razão, um projeto como esse deve considerado com carinho. Fazer a escolha de um modelo pelo preço ou pelo design pode resultar em problemas posteriores. O melhor é conciliar design e preço, mas em uma peça que seja facilmente adaptável para o ambiente em questão. Há muitas alternativas no mercado, capazes de combinar com qualquer projeto. Por isso, não deixe de conferir os modelos existentes na hora da elaboração do projeto.

Por fim, vale lembrar que muitas delas, dependendo do ambiente, terão finalidade mais estética do que de aquecimento. Por essa razão, é preciso estar ciente da proposta de colocação da sua lareira: pode ser que ela atenda as duas alternativas, porém em alguns casos você terá que optar entre uma e outra ideia.