Arquitetura

5 cidades que foram planejadas no Brasil

Conheça alguns municípios brasileiros cujo desenvolvimento inicial foi pensado para que o crescimento se desse de forma ordenada.

O planejamento urbano é um tema que cada vez mais entra na pauta de debates dos principais municípios brasileiros. Com o crescimento populacional de algumas cidades, o desenvolvimento desordenado passou a ser um problema. Muitas cidades brasileiras foram concebidas de forma espontânea, sem um planejamento inicial.

Contudo, nem todas são assim. Existem diversos exemplos de cidades planejadas no Brasil que mostram que o crescimento de uma região pode sim ser feito de forma ordenada. Além disso, há exemplos ainda de cidades que, em um determinado momento, conseguiram fazer uma revisão no seu plano urbano para mitigar os efeitos do aumento populacional.

Nesse artigo, listamos 5 cidades brasileiras que foram planejadas, seja no momento da concepção ou posteriormente, em alguma reforma de urbanização. Você saberia citar de memória alguns desses exemplos?

1. Brasília

Criada para ser a capital federal, a cidade de Brasília é o exemplo mais emblemático brasileiro de uma cidade planejada. Os planos de construção da cidade são antigos e já remetem à época do Brasil Colonial. A ideia, por volta de 1761, era a de construir uma cidade para ser a sede do governo que ficasse longe do litoral e, portanto, menos susceptível a invasões como era o caso das cidades de Salvador e Rio de Janeiro.

Porém, os estudos foram retomados para valer apenas em 1955. Na época, o então candidato à presidência Juscelino Kubistchek inclui o projeto no seu plano de metas. O trabalho ficou sob a responsabilidade do urbanista Lucio Costa e do arquiteto Oscar Niemeyer. A obra foi inaugurada em 1961.

Um dos principais conceitos urbanísticos da cidade é a ideia de superquadras, projetadas para serem um espaço de convívio entre os moradores. Dentro delas, há sempre um espaço de lazer, como parques e áreas verdes. Além disso, os prédios são construídos sobre colunas, de formas que as pessoas possam circular livremente pelas quadras.

2. Goiânia

Goiânia foi a primeira cidade brasileira planejada no século XX. Até 1942, a capital do estado de Goiás era a Cidade de Goiás (conhecida hoje como Goiás Velho, município de construção barroca e que hoje é tombado como Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO), em um projeto que levou quase 10 anos para ser concluído.

Com influência do estilo Art Déco, a capital goiana foi planejada para uma população de 50 mil habitantes, porém hoje já são mais de 1,3 milhão de pessoas por lá. Todo o processo ocorreu durante a presidência de Getúlio Vargas e fazia parte da chamada “marcha para o Oeste”, que visava o desenvolvimento do interior do Brasil.

3. Salvador

Voltando bastante no tempo, a cidade de Salvador, capital da Bahia, também é considerada um município planejado. Porém, há que se considerar que os padrões eram outros, uma vez que esse processo ocorreu em 1549, portanto há quase 500 anos. Primeira sede do Governo Geral do Brasil, ela foi concebida para ser uma espécie de “cidade-fortaleza”.

Apesar do terreno irregular, os portugueses optaram por um projeto cuja concepção era racional e geométrica. Assim, Salvador cresceu sob a égide de um planejamento que a colocava como uma cidade com viés administrativo e militar. Salvador foi a sede de Portugal no Novo Mundo até 1808, quando a família real portuguesa veio para o Brasil.

4. Palmas

A capital do Tocantins foi uma das últimas grandes experiências de planejamento urbano no Brasil. Em 1988, a Constituição Brasileira criou o estado de Tocantins, desmembrando seu território do estado de Goiás, e Palmas foi escolhida para ser a capital. Os responsáveis pelo projeto foram os arquitetos Luiz Fernando Cruvinel Teixeira Walfredo Antunes de Oliveira Filho.

Com avenidas gigantes e muito espaçadas, Palmas tem um traçado em quadrículas visando otimizar as funções da cidade. Há muitas áreas verdes e espaços vazios entre elas. A capital do Tocantins foi concebida para abrigar até 1 milhão de pessoas, mas curiosamente sofre do efeito oposto: a população, segundo o IBGE, é de apenas 286 mil pessoas. Porém, em 1991, esse número era de apenas 24 mil habitantes.

5. Curitiba

Apesar de não ter sido planejada desde a sua concepção, a cidade de Curitiba passou por um processo de reestruturação urbana entre os anos 70 e 90 que fez a capital do Paraná ganhar fama nacional e internacional. Sob o comando do então prefeito Jaime Lerner, a cidade virou referência em transporte público.

Os ônibus biarticulados, as canaletas exclusivas, o programa de coleta de lixo reciclável e o grande número de parques e áreas verdes fizeram a cidade adotar o título de “capital ecológica”. Contudo, o grande crescimento populacional enfrentado pela cidade nos anos 90 e 2000 faz com que Curitiba hoje já se coloque em estado de alerta, requerendo novas mudanças estruturais.

Fonte(s): Pensamento Verde e Jornal GGN